Existem, fundamentalmente, duas formas para proteger o aço da corrosão:


Revestimento,

que apenas coloca uma barreira entre o aço e o meio ambiente. Um exemplo típico, é a utilização de uma camada de tinta, que uma vez perfurada, expõe imediatamente o aço à corrosão.


Protecção catódica,

que utiliza anodos sacrificiais constituídos por metais menos nobres que o aço, que acabam por corroer-se, protegendo assim o aço. Com o anodo, é o zinco que sofre a corrosão deixando o aço intacto. É esta acção que é conhecida como a protecção galvânica.



BENEFÍCIOS


Um dos grandes benefícios da Galvanização a Quente é que oferece no mesmo tratamento de superfície protecção de revestimento e catódica. Devido à natureza do processo de galvanização a quente, uma superfície galvanizada apresenta muitos outros benefícios inexistentes em outros tratamentos de superfície:


  • • Aderência extremamente forte do zinco ao aço;

  • • A camada vai a todas as partes da peça uma vez que esta é imersa no banho de zinco líquido;

  • • Integridade do tratamento, uma vez que o zinco apenas se liga a superfícies limpas;

  • • Resistência abrasiva e dureza;

  • • Durabilidade da protecção;

  • • Uniformidade da camada de zinco, em toda a peça;

  • • Reduzido custo.




A reacção de galvanização ocorre quando o aço (préviamente limpo, sem resíduos de ferrugem, óleos, tintas e outras sujidades) entra em contacto com o zinco em fusão (450º C) verificando-se uma reacção entre ambos os metais, originando a formação da liga ferro-zinco.


O revestimento é constituído por diferentes camadas ferro-zinco, com diminuição progressiva em ferro, no sentido da superfície. Quando o material é retirado do banho de zinco, fica depositada uma camada de zinco puro na superfície exterior do revestimento.


A figura, descreve de modo esquemático a estrutura de um revestimento de zinco obtido por galvanização a quente.












A espessura do revestimento e a aparência da sua superfície são determinados pelo modo como a reacção tem lugar e como a camada exterior de zinco solidifica. A sequência da reacção varia relativa e absolutamente com um grande número de parâmetros diferentes. Destes, a composição do aço é de grande importância, mas as condições da superfície das peças, o processo utilizado na sua fabricação, a composição e temperatura do banho de zinco e o tempo de imersão, também influenciam a sequência da reacção em graus diferentes.



Processo


A reacção de galvanização ocorre apenas em superfícies limpas, originando uma reacção metalúrgica entre o aço e o zinco, sendo por isso fundamental, que as peças a galvanizar estejam desoxidadas e livres de resíduos de tinta, óleos e outras sujidades. A preparação das superfícies do material, compreende uma fase de desengorduramento, lavagem, decapagem ácida, lavagem, fluxagem e secagem. Saliente-se que, tinta, óleo, massas consistentes e óxidos de soldadura, não são removidos nesta fase de preparação das superfícies, pelo que devem ser eliminados antes do material ser enviado para a Galme.

Galvanização a quente